SEDE FATMA FAPESC

SEDE FATMA + FAPESC 

Tipo: Projeto de edificação , Concurso Nacional de Arquitetura 
Autores: Arq. Marta Kessler e Arq. Martina Jacobi
Colaboradores: Arq. Rafael Lima e Acad. Paula Bellé
Consultores: Arq. Paula Arnold e Arq. André Gustavo Borges
Ano: 2012
Localização: Florianópolis, Brasil
Área: 9.610 m²
Status: Projeto concluído

A proposta para o edifício-sede da FATMA (Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina) e da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina), além de cumprir as necessidades programáticas das duas instituições, representa de maneira formal a dimensão de seu significado, mantendo o devido caráter institucional e ao mesmo tempo evidenciando plasticamente sua vocação para obra de exceção.

Volumetricamente a proposta se resume em dois prismas bastante regulares, decorrentes da decisão pelo uso de estratégias para eficiência energética, construtiva e conforto ambiental. O primeiro, perfurado por dois pátios, dividido em 6 pavimentos, contém o programa de escritórios das entidades. O segundo, ocupando os limites legais do terreno, semienterrado e abrigando principalmente os estacionamentos. Ambos os volumes descolados entre si pelo pavimento sob pilotis, onde se localiza o acesso e o auditório,  caracterizado pela singularidade formal em relação aos demais. A circulação vertical, por fim, interliga todos os andares. Uma casca dobrada, composta de chapa metálica perfurada, traz à regularidade a expressão, dobrando-se de forma a envolver parte da fachada oeste. Cria-se assim, além da própria proteção aos raios solares, o lado icônico da edificação, destacando-se positivamente no contexto urbano a partir de todas as visuais identificadas e demonstrando que naquele local há um edifício ímpar.

O sistema construtivo do edifício foi concebido de maneira bastante racional, priorizando a utilização de sistemas pré-fabricados e visando à minimização de resíduos e desperdícios.

Trata-se de uma estrutura de pilares e vigas de concreto com lajes alveolares, dispostos sobre uma malha regular que modula todo o projeto. O bloco com os 6 pavimentos de escritórios é apoiado sobre pilares em V, que recebem os esforços concentrando-os do pilotis para baixo, tirando partido de seu recurso estético para mantê-los aparentes neste pavimento.

A implantação do edifício no parque também é alvo do projeto, que conta com um plano de mobilidade interna e uma proposta de remodelação paisagística que abrangem todo o Parque Tecnológico Alfa. A primeira, voltada ao fomento a energias renováveis, e a segunda à restauração do habitat da região, através do uso abundante de vegetação nativa.

Outro ponto a ser destacado é a sustentabilidade. O estudo atende aos requisitos exigidos para a viabilização do selo PROCEL Edifica nível A no projeto executivo e também às exigências para a certificação LEED nível Ouro, inédito em Santa Catarina. Os conceitos para ambos foram aplicados desde os primeiros lançamentos, combinando uma série de estratégias que garantem seu desempenho ambiental e energético exemplarmente eficiente. Priorizando o uso de ventilação cruzada, sombreamento das fachadas e massa térmica, todos de forma otimizada e adaptável, o projeto, além de cumprir seu papel sustentável, conforma uma proposta capaz de representar à altura toda a importância da FATMA e da FAPESC em relação à comunidade do estado. Consolida-se assim a responsabilidade de ser um ícone na consolidação de Florianópolis como referência em desenvolvimento sustentável e inovação.